Formações rochosas curiosas que vi por aí

Formações rochosas curiosas

Esta não é a Wave Rock legítima da Austrália, mas pra mim se parece mais com uma onda do que a rocha verdadeira! Olha só essa crista! Rsss… A formação que leva o nome de Wave Rock (“Rocha de Onda”, em inglês) fica no estado da Austrália Ocidental próximo à cidade de Hyden. Já esta da foto fica no meião do Outback nos contornos do Uluru.

Formações rochosas curiosas

Esta é a Split Apple Rock, “Rocha da Maça Partida”. Fica na Ilha Sul da Nova Zelândia dentro do Abel Tasman National Park. A rocha é de granito e ninguém sabe ao certo quando ela se partiu. Mistério…

Formações rochosas curiosas

Pomba da paz. Quem concorda? Me deparei com essa silhueta dentro de uma pequena caverna na beira da praia Cala Mitjana, em Menorca, na Espanha. Que eu saiba esta formação não é famosa, mas me prendeu a atenção quando vi. Será que posso batizar?!

Menorca: quatro praias de cair o queixo

Macarella e Macarelleta, Menorca

1. Macarella. Praia de mar azul turquesa tranquilo onde os cheios-da-grana da Europa ancoram seus barcos para dar uma mergulhadinha. Macarella, que fica no sul de Menorca, reserva ainda outra praia dos deuses: Macarelleta, um paraíso escondido na terra! Veja o post completo de Macarella e Macarelleta neste link aqui.

Cala en Porter

2. Cala en Porter. Pequena vila localizada no sul de Menorca com boa estrutura de restaurantes, bares e lojas. É uma opção bacana para famílias com crianças pequenas se hospedarem, já que não é tão movimentada quanto outras praias mais populares da ilha. Clique aqui para ver o post especial sobre Cala en Porter!

Cala Morell, Menorca

3. Cala Morell. É uma enseada pequena que também faz parte do time de belezuras do sul de Menorca. Mede só 80 metros de comprimento e 50 de largura, mas nada a impede de ser uma praia de tirar o chapéu (o óculos, o chinelo e cair na água!). O visú diferenciado fica por conta das rochas e falésias que emolduram a baía. Confira aqui mais cliques de Cala Morell.

Cala Torta

4. Cala Torta. Ela é vizinha da Playa de Cavalleria, uma das praias mais populares do norte de Menorca, mas não fica em segundo plano. Os nuances de azul e verde do mar contrastam com a terra vermelha da costa e formam uma paisagem super colorida. Saiba mais sobre Cala Torta e Playa de Cavalleria clicando aqui

Paris 6: Restaurante francês em São Paulo

Paris 6 Restaurante São Paulo

Eu teria desistido de conhecer o Paris 6 se tivesse dado ouvido aos comentários que li sobre ele na Internet: “ambiente cafona, fila infernal, atendimento a desejar, preço caro”. À parte da demora de meia hora na fila (o que é de se esperar de um lugar que está na boca do povo – inclusive na boca do jogador Sheik, já que foi lá que ele deu o tal selinho no amigo), não encontrei nada dos outros mimimis. Não sei se os reclamões da Internet não tiveram sorte ou se são móóinto exigentes mesmo, só sei que eu tive uma experiência maravilhosa no restaurante!

Como o próprio Paris 6 se rotula, ele é “mais do que um restaurante, é um ponto de encontro”. Encontro de ricos e famosos e de gente como a gente. É um restaurante que funciona 24 horas por dia, serve café da manhã, almoço, lanche e jantar e honra o que traz no nome: tem decoração de bistrô parisiense, toca música em francês e tem no cardápio clássicos franceses (entre um e outro prato de outra nacionalidade).

O grande barato do Paris 6 (e, por incrível que pareça, motivo de muitas críticas) é o seu menu inspirado em artistas que frequentam a casa. As receitas são criações das próprias celebs em conjunto com o restaurante e levam o nome dos seus criadores. Isso quer dizer que no Paris 6 você pode comer a “Luana Piovani”, o “Bruno Gagliasso” ou o “Marcelo Adnet”, por exemplo. Eu, no caso, dividi a “Suzana Vieira” com meu namorado de entrada, jantei o “Dalton Vigh” de prato principal e, pra fechar, pedi o “Marcos Pasquim” de sobremesa. Não é puro bom humor?! Os pratos são bem servidos e a comida, como diriam os franceses, délicieux!

E estava tudo tão délicieux que ficamos nada menos do que cinco horas no Paris 6 comendo, bebendo e rindo um bucado… Ai ai, já saudades! É certamente um lugar que eu recomendo pra quem quer mais do que só sair para comer.

O Paris 6 fica na Rua Haddock Lobo, 1240, no bairro Jardim Paulista. Ah! E para a alegria dos cariocas o restaurante inaugurou no ano passado, 2013, uma filial no Rio. Sortudos!

Veja outra sugestão de restaurante em Sampa que conheci: D’olivino

Subir a Torre Eiffel pelas escadas. Como é?

Torre Eiffel pelas escadas

Que me perdoem o Big Ben, a Estátua da Liberdade ou o Burj Khalifa, mas a Torre Eiffel, símbolo emblemático de Parrí, é indiscutivelmente a silhueta mais cobiçada do mundo. Quase 7 milhões de pessoas visitam a ‘Dama de Ferro’, como dizem os parisienses, por ano. Quem, em uma pernada pela cidade, não sai a procura dela no horizonte? Todo mundo quer uma lasquinha: quer ver, tocar, subir, fotografar…

O que nem todos sabem, porém, é que a “experiência Torre Eiffel” pode ser ainda mais, digamos, íntima. Quem quiser pode explorá-la por dentro, percorrendo os seus cantinhos mais secretos. É a possibilidade de subir a Torre pelas escadas que levam do chão ao 2° andar.

Torre Eiffel pelas escadas

São ao todo 704 degraus em lances de escada em zig zag que, a cada curva, desvenda ângulos únicos da cidade luz.

Torre Eiffel pelas escadas

Além desse tour diferenciado que só quem dispensa o elevador tem, subir a torre na panturrilha tem outras vantagens bem vindas:

Torre Eiffel pelas escadas

Depois de atingir o 2° andar (e constatar que os pulmões estão em dia), pegue o elevador até o 3° e aprecie Paris lá de cima. No intervalo entre as subidas e descidas, aproveite as atrações de cada andar, que vão de restaurantes e loja de souvenir a museu e cinema. Dica: no 3° andar, gaste € 12 sem culpa na Champanheria e brinde sua chegada ao topo da Torre na maior elegância. Santé!

Veja outras dicas de Paris no post Roteirão: 4 dias em Paris!

Novidades tecnológicas para viajantes que não desligam

Foi se o tempo em que viajar significava ficar incomunicável por um tempo, estar por fora das notícias do mundo ou se ausentar verdadeiramente das decisões do trabalho. Hoje em dia, os smartphones, ou melhor, a dependência que criamos deles, não nos deixa em paz desligar de tudo que acontece nem mesmo quando viajamos. É um tal de pegar o celular na mão toda hora às vezes sem nem mesmo saber o porquê. Tô certa ou não?!

O vício é fato e, diante disso, o mercado não perde tempo. A cada insight  inventa um negocinho novo pra gente consumir e alimentar essa sede por tecnologia. Felizmente (ou infelizmente… Depende do ponto de vista), os dispositivos eletrônicos que têm surgido caem muito bem pros viajantes, já que dão aquela mão em lugares longe da zona de conforto.

Dá só uma olhada nestas tecnologias lançadas recentemente que estão mudando o jeito de viajar:

1. Carregador portátil para smartphone

Carregador Portátil Smartphone

A bateria do seu celular acaba no começo de um dia incrível. Sem tomadas por perto, você fica sem poder tirar fotos, sem GPS, sem Instagram, sem contato. O que fazer? Tirar o seu carregador portátil da bolsa ou mochila e dar carga ao celular com a energia guardada nele. É tecnologia minha gente! :)

Neste link aqui você encontra uma matéria bem detalhada sobre os carregadores que existem hoje no Brasil, as especificações e o preço médio de cada um. Eles custam entre R$ 69 e R$ 420.

2. Tep Wireless

Tep Wireless Hotspot

Este aqui é revolução! Que tal ter o seu sinal wi-fi pessoal pra usar onde quer que esteja? O Tep é um aparelhinho sem cabo que fornece sinal de Internet para smartphones, tablets e laptops. Ele pode conectar cinco aparelhos ao mesmo tempo, tem cinco horas de bateria e cabe no bolso (é menor do que um iPhone).

O aparelho ainda não está disponível para venda, apenas para aluguel. Ao acessar o site da empresa, você seleciona para qual continente ou país irá viajar, escolhe a quantidade de dias que irá usá-lo e paga por cartão de crédito. O Tep vai chegar na sua casa alguns dias antes do aluguel começar a contar e, quando você voltar de viagem, é só enviar o aparelho de volta por correio, tendo já pago essa taxa na contratação da Internet. Sucesso, né?!

A diária do aluguel custa € 5,00 (R$ 14,80 no câmbio de hoje). Numa viagem de dez dias para a Europa, por exemplo, custaria R$ 199,60 já com todas as taxas. Não é uma bagatela, mas com certeza é muito mais barato do que pagar o roaming internacional de dados das operadoras.

3. Lentes fotográficas para smartphone

Kit Lentes Smartphone Olloclip

Diante das facetas fotográficas dos smartphones, empresas inteligentes resolveram beliscar uma fatia desse mercado e criaram acessórios para potencializar a câmera digital do aparelho. São lentes que, quando acopladas ao corpo do celular, garantem mais qualidade às fotos e permitem efeitos antes só conseguidos com câmeras profissionais. Lentes zoom, olho de peixe e ultra macro são algumas das disponíveis.

Um kit que está fazendo o maior sucesso é este do Photojojo, que fornece lentes para fazer fotos em grande angular, close-up, imagens distantes entre outras habilidades com valores acessíveis e sem muito esforço para usar (as lentes “grudam” no celular através de imã). O kit com as 5 lentes custa U$ 99, o com 3 lentes U$ 49, e cada lente sozinha a partir de U$ 20. Olha só ele aí:

Kit Lentes Smartphone Photojojo

Outras opções são as lentes da Olloclip (a da primeira foto – com acessórios para iPhone 4, 4s, 5, 5s, 5c), da Pixeet (que vende exclusivamente lentes olho de peixe para smartphones e tablets) e as da Moment. Os sites em português Lente para celular e Banana Foto vendem alguns destes acessórios.

Como não amar estas novidades?!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 58 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: