Templo hindu em Cingapura? Visite o Sri Mariamman Temple

Sri Mariamman Temple

Esse é o Sri Mariamman Temple, o templo hindu mais antigo de Cingapura (existe desde 1827). Ele não fica no bairro indiano como alguns pensam, mas no bairro chinês, o Chinatown. A torre da fachada, cheia de esculturas de deuses mitológicos coloridos, se destaca fácil entre os prédios mais, digamos, tradicionais da vizinhança.

Assim como em todo templo hindu, os calçados ficam na entrada. Lá dentro, imagens de deuses com vários braços, cabeças e olhos arregalados estão no teto, nos altares, nos corredores, na imaginação kkk… Se é assustador? Seria se não fosse tão interessante! Não digo que o lugar me transmitiu paz (inclusive tive taquicardia na primeira vez que entrei lá!), mas transitar por um lugar cheio de misticismo é pra mim demais de instigante.

Sri Mariamman Temple

O templo é um dos mais importantes locais de culto e adoração pros hindus que moram em Cinga e, por isso, sempre tem movimento. O Festival Theemithi, aquele em que os devotos caminham sobre as brasas, acontece lá dentro entre os meses de outubro e novembro. Turistas por lá nessa época do ano: atenção pra não perder, hein?!

Sri Mariamman Temple

Como chegar?
De metrô: Estação Chinatown
De táxi: 244 South Bridge Road (ou só falar ‘o templo hindu do Chinatown’)

Horário de funcionamento?
Diariamente das 7h às 12h e 18h às 21h

Entrada?
Gratuita

Vale lembrar…
Tirar os calçados, manter o silêncio e não atrapalhar os rituais não é pedir demais, né?!

Festival das Cores no Brasil: o que é, quando vai ser e como vai funcionar?

086 - Festival das Cores

Há poucos dias eu comentei que era doooida pra participar do Holi, o Festival das Cores, na Índia. Essa semana (com um mega delay) descobri que não é só na Índia que o Holi acontece, ele é febre no mundo inteiro. O melhor disso é que o Brasil também entrou na mania e vai realizar o primeiro Festival das Cores esse ano! \o/\o/\o/ Vai acontecer no mês de setembro, em São Paulo, com data e local ainda a confirmar.

Eu troquei e-mail com o pessoal da organização do evento e as informações que eles podem passar ainda são bem restritas. Por enquanto o que já sabemos é que:

- Não haverá restrição de idade para entrar no festival;
- Haverá um número limite de participantes devido às dimensões do espaço alugado;
- Em breve deve começar a venda do HOLI KIT, que dará acesso ao pó colorido, à camiseta oficial e alguns brindes;
- Os ingressos serão vendidos online e poderão ser retirados em diversos pontos de Sampa.

Outra informação valiosa que eles deixaram no ar é que “a entrada do evento será de um jeito diferente do que os paulistas estão acostumados”. Esse festival promeeeete, Brasil!

Este aqui é o site oficial do evento. Entra lá!

Sobre o Holi

O Holi Festival ou Festival das Cores é uma celebração da religião hindu que comemora a chegada da primavera. Para os hindus, é tempo de dar um até logo pro inverno e desfrutar das cores da nova estação.

O Festival surgiu na Índia há muito tempo e se espalhou pelo mundo como um momento de pura alegria que incentiva a união entre as pessoas e convida todos a esquecerem por algumas horas os rótulos sociais e sentirem-se iguais. #legal!

O que rola é uma festa com comida, bebida, muita música e “guerra” de pó colorido. Pensa que delícia?! #adoroumabagunça! O pó é biodegradável, feito com farinha de trigo e corantes orgânicos. Então, sem preocupações… só curtição!

Este é o vídeo de divulgação do evento no Brasil. Sente só a vibe!

#euvou! Quem mais?

Coisas que você não sabia sobre Cingapura

Oi pessoal! Estive fora do ar por uns dias, mas foi por um bom motivo: estou trabalhando em dois projetos super bacanas que envolvem o blog e, apesar de estar muerta e com saudades de postar, estou amando as novidades que vêm por aí ♡. Logo logo elas vão pro ar e eu vou poder compartilhar tudinho com vocês e parar de sofrer de ansiedade kkk!

Retomando os trabalhos, hoje preparei mais um post sobre Cingapura. Nada nem ninguém tira o amor que tenho por Cinga, mas como blogueira de viagens que se preze eu não posso deixar de revelar algumas verdades do país goste você ou não:

Coisas que você não sabia sobre Cingapura

1. Ok lah! Cannot lah! Very funny lah! Achou irritante?! Se você for pra Cingapura pode se acostumar com a ideia porque vai ouvir muito lah na cabeça. Colocar a expressão “lah” no final das frases é muito comum entre os cingapurianos (entre os cingapurianos – você não precisa sair falando lah pra se inturmar, ok?). A palavra não tem tradução e nenhum significado ao pé da letra, é só uma interjeição característica dos locais pra enfatizar algo que estão falando.

2. Não existe chiclete normal pra vender em Cingapura. Como assim?! Só chiclete para fins dentários e chiclete de nicotina pra quem quer parar de fumar. Eles só são vendidos em farmácias e pra comprar é preciso dar o nome e mostrar um documento de identificação. Tenso! E olha que a situação já foi pior, hein. Eu explico:

Durante 12 anos (de 1992 a 2004) mascar chiclete foi proibido em Cingapura sob pena de multa de U$ 500 a U$ 1000. Aliás: mascar, comprar, vender, fabricar e importar. (Eu peguei essa lei seca do chicletão nos dois anos que morei lá e sei bem o que foi isso. Uma adolescente sem chiclete, pensa no drama?!). O governo proibiu o produto porque as pessoas não estavam fazendo o descarte correto do chiclete, ou seja, jogando o lixo no lixo (hello Brasil??). O custo que o governo tinha pra manter as ruas limpas e consertar os equipamentos de limpeza eram muito altos. A situação ficou ainda mais séria quando o metrô, principal transporte público do país, passou a não funcionar propriamente por causa dos malditos chicletes grudados nas portas dos vagões. Com tantos danos causados ao patrimônio público, o governo então decidiu em 1992 banir o chiclete no país. E bem que fez! Pensa numa calçada sem nenhuma bolota de chiclete derretida no chão? Uma carteira de escola limpinha? Coisa linda. Em 2004, a lei foi revista e os chicletes para benefícios da saúde foram então liberados.

Abre parênsetes: Esta é só uma das várias medidas radicias que fizeram de Cinga um país exemplo em organização, limpeza e cumprimento de normas. De tantas leis que possui, Cingapura é conhecida como cidade das multas. Pra ter uma ideia, existe multa até pra quem cospe no chão e arranca flor de jardim público. Pega essa!! Outro dia faço um especial só sobre isso…

3. Cingapura tem uma fruta que, de tão fedida, é proibida em ambientes públicos – e se você for pego carregando uma, paga multa, claro. É a durian, conhecida como a fruta com sabor do céu e cheiro do inferno. (Eu coloquei a minha língua na reta pra saber se o sabor era mesmo de céu e não achei nada celetial não…). Só é encontrada no sudeste asiático e se parece com jaca na aparência: é verde, grande e tem uma casca dura e espinhenta. Por dentro, é amarelada e mole. Nhãm?? Kkk #not. Exótica!

Zoos de Cingapura

Quem visita Cingapura não pode deixar de conhecer pelo menos um dos superproduzidos zoológicos da rede ‘Wildlife Reserves Singapore’. Eles são enooormes, limpos, organizados e cheios de boas atrações. Além da ótima estrutura e dos funcionários sorridentes (que parecem amar o que fazem), os zoos de lá tem a bicharada mais exótica e completa do mundo! Você vê de urso panda a tigre branco em ambientes que praticamente simulam a vida selvagem na cidade e pode ainda interagir com os mais mansinhos. Dá pra alimentar elefantes, tomar café da manhã com orangotangos, passear no meio de um universo de borboletas. É uma delícia de passeio pra crianças de 6 a 60 anos! :) Meu lado menina adora!

O Singapore Zoo é considerado o melhor zoológico do mundo por reproduzir o habitát natural dos 2.800 animais com perfeição e permitir que vivam como se estivessem em casa. Ele abre todos os dias do ano das 8h30 às 18h. O ingresso custa S$ 22 por adulto (cerca de R$ 36).

Zoológico de Cingapura

O Jurong Bird Park é um santuário de pássaros! Tem mais de 5 mil aves coloridérrimas e alguns dos maiores aviários “livres para voar” do mundo. O horário de funcionamento também é das 8h30 às 18h e o ingresso custa S$ 20 adulto (R$ 33).

Jurong Bird Park Cingapura

O Night Safari é um zoológico noturno! Confesso que chega a dar um medinho. Ele leva os turistas a bordo de um bonde pra conhecer animais de hábitos noturnos tomando banho, comendo, namorando… Ele abre às 19h30 e fecha à meia-noite, a entrada é S$ 35 (R$ 58).

Zoológico Noturno Cingapura

O River Safari é novidade e parece que vai abrir no primeiro quadrimestre de 2013. O que se diz é que vai ser o primeiro parque de rios temáticos da Ásia (pra variar, né?). Ele vai reproduzir 10 ecossistemas de rios do mundo, incluindo o Rio Nilo, Mississipi e até o Amazonas. Nossa, Cinga realmente leva a sério tudo que faz! °o°

Dicas:

- Leve protetor solar, boné/chapéu e água para os passeios de dia (apesar de poder comprar tudo isso por lá).

- Reserve pelo menos meio dia pra conhecer o Bird Park.

- Para o Singapore Zoo, o ideal é ir pela manhã, almoçar por lá e seguir com o passeio depois. A programação do início do dia e da tarde são diferentes.

- No Night Safari é legal deixar para jantar no final do passeio. Lá tem uma área top pra comer com música ao vivo e tudo mais.

- E mais importante, a frase clichêzona que sempre vale: não tire nada a não ser fotos, não deixe nada a não ser pegadas e não leve nada a não ser lembranças! :)

Sabores do mundo: frango tailandês

Receita frango tailandês, culinária tailandesa, gastronomia tailandesa

Não me julguem, please! Eu seeei que este não é um blog de receitas, mas fã de comida como sou não resisti e criei a editoria “Sabores do mundo” pra compartilhar com vocês algumas delícias da cozinha internacional.

Pra abrir essa nova série escolhi a minha culinária favorita: a tailandesa! Não sei se o que mais me agrada dela é a mistura de doce com picante, o aroma forte dos temperos ou a apresentação dos pratos, que é sempre um capricho. Deve ser a combinação de tudo isso e a forma como ela mexe com vários sentidos ao mesmo tempo! Assim é a gastronomia da Tailândia: exótica e criativa, mas harmônica.

Os ingredientes chave para a preparação dos pratos são o nam pla (molho de peixe à base de anchova usado pelos tailandeses como substituto do sal – assim como é o shoyo para os japoneses), folhas do limão kaffir (espécie de limão nativa do sudoeste asiático), a raíz galanga (o gengibre tailandês) e o talo do capim-limão (a parte branca do que a gente conhece aqui no Brasil por capim-cidreira). Leite de côco, amendoim, pimenta, coentro e especiarias, como curry, cominho, cardamomo e canela, são outros ingredientes que aparecem sem dó nas receitas.

Aqui no Brasil, acredito que o único lugar onde encontramos todos esses ingredientes é no Bairro da Liberdade, em São Paulo. Tô enganada? Quem não pode fazer a feira por lá, como eu, tem que improvisar com o que tem no mercado e abrasileirar a receita um poquinho pra conseguir matar a vontade de novos sabores.

A receita que eu fiz (essa da foto) foi o frango tailandês, que mistura meus amados leite de côco e curry. Nhãm!! A bem da verdade é que ele tem que ficar mais molhadinho do que esse meu aí que parece mais o chão do sertão kkk, mas o gostinho ficou o mesmo e a frô enfeitando deu todo um tchã-nã-nã, num deu?!

Pesquisando encontrei uma infinidade de variações da receita, mas a que eu fiz tirei do site Tudo Gostoso e é assim:

Ingredientes:

1 peito de frango em cubos
1 cebola picada
1 colher de chá de curry
1 vidro pequeno de leite de coco
3 tomates
2 dentes de alho amassados
1 colher de chá de gengibre ralado
1 colher de sopa de molho inglês
Coentro picado a gosto
Suco de 1 laranja
Sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:

- Tempere o frango com gengibre, sal e pimenta-do-reino. Acrescente o suco da laranja e deixe descansar.
- Na panela, doure a cebola e o alho; adicione o frango e o molho inglês e refogue; coloque os tomates previamente batidos no liquidificador com 1/2 xícara de água e deixe cozinhar.
- Quando o molho ficar consistente, acrescente o leite de côco e, por último, o curry e deixe ferver por mais 1 minuto.
- Coentro picado pra enfeitar e arrozinho branco pra acompanhar.

Fácinho, né? Quem fizer eu quero saber!

Curiosidade: Você sabia que a palavra “thai” no tailandês significa livre? Que tudo! Eles são realmente bon vivants! :)

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 57 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: