Dez conselhos rápidos para dormir em albergues

Dez dicas para dormir em albergues

1. Antes de viajar faça a sua carteirinha de alberguista para pagar diárias com desconto. Ela custa R$ 40 e é válida por um ano. Associe-se aqui.

2. Na hora de escolher o albergue leve em conta 1) a localização, 2) a divisão dos quartos e banheiros – se são mistos ou separados por sexo, e 3) a avaliação de quem já passou por lá – você pode encontrar estas informações em sites como o Trip Advisor.

3. Esteja preparado para chegar e fazer a sua própria cama. Geralmente os lençóis são entregues na recepção e, inclusive, pode ser que sejam cobrados a parte da diária.

4. Cadeado. Leve pelo menos um para garantir a segurança dos seus pertences. Normalmente os albergues oferecem um locker (aquele armário de metal) para cada hóspede, mas nem sempre fornecem o cadeado. Se o albergue não tiver locker, minha dica é guardar os objetos mais importantes (documentos, dinheiro, máquina fotográfica) dentro de uma mochila e dormir com ela na cama.

5. Leve de casa a sua toalha de banho. Pelo menos eu nunca vi albergue oferecer esta facilidade. Prefira uma pequena ou uma de alta absorção para secagem rápida.

6. Se você chegar no quarto de madrugada não vai poder (ou pelo menos não deveria) acender a luz. Então levar uma lanterna pequena é de grande ajuda.

7. Se você estiver dormindo e outro camarada entrar no quarto e acender a luz vai ser irritante. Para evitar isso, use tapa olho. Se quiser, pode ainda dormir ouvindo música com fone de ouvido. O sono é garantido!

8. Se o albergue não oferecer café da manhã, certamente terá uma cozinha onde você possa preparar suas refeições. Compre no supermercado os itens que quiser, usufrua dos utensílios do próprio albergue para cozinhar e deixe tudo limpo depois.

9. Lavar roupas é uma prática comum nos albergues. Normalmente eles oferecem a máquina de lavar e a de secar também. Você pode comprar o sabão no próprio albergue ou, se for viajar por um tempo mais longo, pode carregar um saco/tablete com maior quantidade na bagagem.

10. Meninas: se o quarto for misto é interessante deixar a camisola em casa. Prefira pijamas com shorts mais compridinhos e camisetas comportadas para evitar situações embaraçosas…

Hotel review: Porto Pacuíba (Ilhabela/SP)

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Porto Pacuíba Hotel Ilhabela

Este foi o hotel pra lá de charmoso que fiquei em Ilhabela na minha passagem por lá. É o Porto Pacuíba, um hotel que fica ao norte da ilha com vista para o mar. Ótimo atendimento, decoração de extremo bom gosto e quarto confortável. É um hotel que mistura o moderno com o rústico. Se ele fosse uma roupa eu diria que o seu estilo seria o boho, uma combinação de vintage com chique. Deu pra entender?

Como fiquei um diazinho só em Ilhabela (mostrei as minhas 24 horas na ilha neste post aqui!) e já que esta seria a minha última parada do roteiro de viagem antes de voltar pra casa, aproveitei pra curtir bastante o hotel e descansar. Os pontos altos desta hospedagem relâmpago? A piscina aquecida com bar molhado de frente pra praia, o mini ciabatta quentinho no café da manhã (nhãm!) e as flores naturais perfumando os corredores. Coisa linda…

Hotel Review: Caesar Business Paulista (São Paulo)

Caesar Business Paulista

Como falei no post passado, estive em São Paulo no último fim de semana e fiquei pela 2ª vez hospedada no Caesar Business Paulista. Eu amei esse hotel desde a 1ª vez que pisei lá e o elegi como o meu oficial toda vez que for pra Sampa.

O motivo dessa satisfação toda é a excelente relação custo/benefício! O valor da diária para casal custa a partir de R$ 189 (pagamos R$ 396 para 2 diárias com café da manhã e taxas) e os benefícios são vários:

1. Ótima localização: O hotel fica em plena Av. Paulista com gente, serviços e comércio a todo vapor; fica a uns dez passos da estação de metrô Consolação; fica próximo à Rua Oscar Freire (fui a pé); e a uma seleção de bons restaurantes (inclusive o D’olivino que indiquei no post anterior).

2. Segurança: Desde a calçada até a porta do elevador tem sempre um agente por perto; pra usar o elevador tem que inserir o cartão do quarto – ou seja, quem não está hospedado não sobe; e pra pegar táxi é só sair porta afora – tem sempre alguns esperando no pátio do hotel.

3. Quarto confortável: Espaçoso (o standard tem 27 m²) e bem limpinho, cama de casal queen size, wi-fi, secador de cabelo e todo o resto básico (ar, tv, frigobar, cofre etc). Apesar de estar de frente pra muvuca da Paulista, o vidro veda completamente o barulhão da rua. O banheiro também tem um espaço legal e é super limpo, o que pra mim é o suficiente pra um banheiro.

4. Café da manhã delícia: Nhãm! Quem não gosta de café de hotel? #euamo! Desde frutas, cereais, frios e pães a ovos, bacon e outras gordices. O croissant com nutella foi a alegria das minhas manhãs! Um detalhe: o salão do restaurante também tem vista pra Avenida.

E um plus: Hall de entrada cheiroso… Hmm! Nada mais marcante! Assim que você entra no hotel já sente um aroma super agradável no ambiente. Na 1ª vez que fui o cheirinho era de erva-doce. Desta vez, capim-cidreira… Impossível esquecer.

E aí, aprovado? E tudo isso sem contar o bom atendimento dos profissionais (e o chopp da Heineken servido no bar da recepção hehe).

*Obs: As duas fotos dos quartos são da Internet (não lembrei de tirar fotos antes da bagunça! kkk), mas garanto que é igualzinho ao que está aí!

Como economizar em hotéis usando sites comparadores de preços

Comparador de preços de hotéis

Há três meses eu fiz uma viagem a Curitiba e penei pra achar um hotel que encaixasse no meu orçamento. Sem muito sucesso, acabei reservando um hotelzinho bem mais ou menos por R$ 159 a diária pra depois descobrir que eu poderia ter pago R$ 126 pelo mesmo quarto se tivesse usado um site comparador de preços de hotéis. Fiquei tãão feliz… #sóquenão! ¬¬

Foram R$ 33 pagos a mais pelo mesmo serviço! Não é de indignar?! Esse dinheiro que sobrou eu poderia muito bem ter economizado ou investido em um hotel de qualidade superior. Dor no bolso = lição aprendida.

O prejuízo nesse caso foi só de uma diária, mas imagina quanta grana pode ser jogada fora numa reserva de vários dias? Dependendo da viagem, a hospedagem pode representar a parte mais cara do orçamento e, consequentemente, o roubo rombo pode ser bem maior.

Hoje, então, eu vim falar sobre as vantagens em usar buscadores de preços como forma de economizar nas viagens e vim apresentar pra vocês o trivago, o maior site comparador de preços de hotéis do mundo.

O trivago nasceu na Alemanha e em oito anos de história já abriu escritórios em treze países, inclusive no Brasil.

Como ele funciona? O sistema do trivago busca os valores que estão sendo cobrados por determinado hotel na Internet e indica o mais barato para que você faça a reserva pelo menor preço possível. Ao todo, são mais de 200 sites de reserva pesquisados que juntos somam mais de 700 mil hotéis.

A diferença no preço das diárias pode passar de 50% pelo mesmo quarto de hotel, acredita? É o caso da diária no Atlantic Business Centro, hotel executivo no Rio, que em um site custa R$ 200 e em outro R$ 304. #quedesaforo!

Não é preciso se cadastrar ou pagar qualquer taxa para usar o trivago, é só digitar o destino e a data desejada que o site mostra os hotéis disponíveis para o período e os valores já comparados. Escolhido o hotel, o trivago direciona o leitor para o site de reserva de onde veio a oferta e a partir daí o viajante faz a sua compra direto com o anunciante. Pronto! Economia a um teclado de distância.

Além dessa agilidade toda, outro diferencial do trivago é que as informações da busca são dispostas de maneira muito clara. Está tudo ali na mesma tela, você não precisa ficar navegando pra encontrar o que precisa. É prático e rápido, sem deixar de ser explicativo. Olha só:

Passo 1: Escolha a cidade, a data e o tipo de quarto desejado

Comparador de preços de hotéis

Passo 2: Confira os preços de todos os hotéis disponíveis para a data

Comparador de preços de hotéis

Passo 3: Veja detalhes da busca e clique na oferta para ser direcionado para o site da reserva

Comparador de preços de hotéis

Facinho, né? 45 milhões de pessoas já usam e abusam do trivago todo mês pra reservar hotéis pelo menor preço. Não vai continuar comendo barriga, hein?! Salva logo o site nos seus favoritos e boa economia pra você.

Este é um post patrocinado.

Passar a noite (dormindo) no aeroporto. Como é?

Dormir em aeroporto

Já passei algumas noites dormindo em aeroporto. E não em hotéis onde se paga pela hora do sono, mas no chão mesmo, piso gelado, carpete quentinho, cadeira dura ou sofá quando dei sorte. O motivo? Voos muito cedo na manhã. Essa foi a estratégia que encontrei pra não precisar fazer a movimentação toda de acordar de madrugada em albergue (e com o auê acordar todo o resto do quarto), pagar pela diária praticamente sem usá-la, pegar ônibus, metrô ou táxi na calada da noite sozinha (perigo, man!) e quando chegar no aeroporto ter que fazer hora do mesmo jeito. =/

Pra quem também pensa assim, mas fica com pulga atrás da orelha querendo saber como é, ficam aqui as minhas impressões:

- Deitar no chão de lugar público está longe de ser a coisa mais elegante do mundo, eu sei, mas pelo menos proibido não é. Nenhum guarda me multou ou chamou atenção (ficou olhando de rabo de olho, ok… mas não proibiu).

- Gente cochilando pelos cantos tem a rolê, mas chamando o chão de “minha cama” não vi muitos não. Mesmo assim, acho que vale mais a pena descansar pra estar inteiro no outro dia a se intimidar por quem nunca mais vai ver na vida.

- Pra não ter que cuidar de muitos volumes (ficar com um olho no peixe outro no gato Ô Ô), é melhor colocar as bagagens grandes em lockers do aeroporto e deixar na mão só uma mochilinha de ataque ou bolsa. Elas servem de travesseiro, mas se não usá-las assim, o jeito é prendê-las ao corpo antes de dormir pra não ter uma má surpresa quando acordar.

- Ter dinheiro em espécie sempre é bom. Já passei um aperto uma vez quando descobri que o aeroporto que passaria a noite (Barajas, Madrid/ESP) fechava no período noturno. O aeroporto ficou completamente vazio, com tudo apagado e nenhuma alma penada pra bater um papo, mas o pior foi descobrir isso quando bateu a fome. A única opção eram as maquininhas de café, salgadinhos e guloseimas – que seriam suficientes se eu tivesse money na mão. Os €0.50 que eu tinha não davam pra nem um pirulito! Dormi com fome e sonhando com o café da manhã. Quando amanheceu, corri pro Mc e me deliciei com três pancakes, um muffin de baunilha e um big café com leite.

E aí, acharam muito serviço ou vale a malandragem?!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 58 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: