Os lugares incríveis que não conheci

Já teve aquele minuto arranca-cabelo pós viagem ao descobrir que perdeu a chance de conhecer um lugar imperdível num destino onde você não está mais – e pra onde talvez nunca mais volte? Bem… Eu já tive alguns. E não foi legal.

Desde que criei o blog em 2012 falo sobre a importância de planejar as viagens. Investir um tempinho antes de embarcar pra pesquisar sobre o destino, listar os must-dos, pegar indicações de restaurantes, de transporte, do melhor lugar pra assistir o pôr do sol e todo o beabá é essencial, além de ser uma delícia porque nos envolve na viagem antes mesmo dela começar.

Resolvi então compartilhar aqui alguns dos lugares que eu não conheci por falta de planejamento pra nunca esquecer a lição e pra dar um chacoalhão em quem precisar. É de chorar… Olha só!

Park Güell

Dá pra acreditar que passei três dias em Barcelona e não conheci este ícone de lá? Que vergonha! O Park Güell é uma das obras do arquiteto catalão Antoni Gaudí, “o cara” das construções emblemáticas da cidade – tem todas elas no post A Barcelona de Antoni Gaudí. O parque fica numa área verde e alta da cidade de frente pro mar mediterrâneo e reúne casas construídas em linhas orgânicas cobertas de mosaicos coloridos. Um tesouro!

Muro de Berlim

Ou melhor, o que sobrou dele e toda história por trás. Não conhecer a East Side Gallery, a maior faixa preservada do muro que dividiu a Berlim Ocidental da Oriental e que foi um dos maiores símbolos da Guerra Fria, é imperdoável. Contei no post Um passeio pelas ruas de Berlim que não gostei da cidade, mas acho que foi a cidade que não gostou de mim porque eu não soube dar moral pra riqueza que ela tem. Entre as coisas que fiz, está a Visita ao Campo de Concentração de Sachsenhausen. Pelo menos, né Juliana?

Trastevere

Que pecado… Cheguei tão perto! Trastevere é o bairro onde la dolce vita reina em Roma. Ruelas de pedra, trattorias exalando cheiro de massa italiana, vinho, fontes, romantismo. Um lugar pra se perder! Não à toa foi cenário de vários filmes mamão com açúcar que vemos suspirando por aí. Pra lá eu volto. Ah, se não!

Como pular fila de atrações turísticas e ganhar tempo nas viagens

Filas Viagem

Filas viagem

Filas são inevitáveis em qualquer destino turístico popular, especialmente em alta temporada. É preciso uma boa dose de paciência (e um calçado confortável) pra encarar algumas horinhas em pé até chegar a sua vez. E como se uma fila não bastasse, na maioria das atrações pagas existem duas: a do ingresso e a da entrada, o que significa tempo “perdido” em dose dupla e menos minutos pra aproveitar a cidade.

A boa notícia é que com um mínimo de planejamento é possível pular (legalmente) a fila da compra dos ingressos e ir direto pra entrada da atração ou, no máximo, pra fila da entrada! Você só precisa comprar o ingresso com antecedência pela Internet, imprimir e apresentar no lugar que for visitar. Pronto! Vale muito a pena.

Eu já gastei muito tempo em filas nas minhas viagens. O recorde foi de qua-tro horas na Galleria degli Uffizi, em Florença, na Itália. De chorar, né? E considerando que eu estava fazendo um bate-volta, metade do meu único dia na cidade foi só pra isso. Como resultado, eu não conheci a casa de Dante, não comi a tal bistecca alla fiorentina e não fiquei perambulando sem rumo pelas ruelas como tanto gosto.

Ah, e em nenhum dos lugares das fotos aí de cima eu consegui entrar…

Lição aprendida, é hora de compartilhar essa prática do bem. A partir de agora é possível fazer a compra dos ingressos por aqui mesmo, através do Terminal de Embarque! Clicando no link Ingressos no menu do blog, você acessa uma página com 18 destinos e suas principais atrações. Se já souber quais vai visitar, pimba! É só garantir.

Gostaram? Essa é uma parceria com a Ticketbar, uma empresa holandesa que faz a venda online de ingressos pro mundo todo. Comprando através deles, você ainda garante alguns descontinhos bem bacanas.

Ticketbar

Quem avisa amigo é…

Um cuidado que tem que ter na hora de comprar os ingressos é indicar o dia exato em que você vai fazer o passeio. Os ingressos não são válidos em datas diferentes àquela que foi preenchida.

Veja outros posts sobre planejamento nas viagens:

 

Siga o Terminal de Embarque nas redes sociais:

instagram.com/terminaldeembarque
facebook.com/TerminalDeEmbarque
twitter.com/tedeembarque

Quando ver cerejeiras floridas no Japão? ✿

Cerejeiras JapãoFotos da Internet

As cerejeiras do Japão são um must-see de muita gente, mas pra conseguir presenciar as árvores recheadas de flores assim é preciso programação.

É que as cerejeiras florescem apenas uma vez por ano no país e por pouquíssimos dias! O período do desabrochar das flores até o momento em que todas caem no chão dura só 15 dias, sendo que o auge mesmo da árvore florida acontece dentro de uma semana. A época do ano em que o show acontece é entre o fim de março e o começo de maio e o fenômeno marca o início da primavera no país.

E nesta data da publicação do post o Japão está floriiido! ✿✿✿ As flores desabrocharam ontem, dia 23 de março, três dias antes do esperado pra este ano de 2015. Com isso, os japoneses estão nas ruas praticando a arte da contemplação, o chamado ‘hanami’! A tradição já acontece há milênios, mas hoje em dia o momento tem ainda mais cara de celebração com os locais e turistas fazendo piqueniques debaixo do céu de flores.

Para os mais poéticos, o significado do ‘hanami’ é o simbolismo da flor com a brevidade da vida, já que o florescer da cerejeira é efêmero, ou seja, passa rápido. Já para os festeiros, o momento é de confraternização, comes e bebes. O provérbio japonês “bolinhos ao invés de flores” vem daí…

%d blogueiros gostam disto: