Dicas para amenizar os efeitos do jet lag

Jet Lag

Quando a gente encara viagens muito longas de avião, geralmente de um continente a outro, nosso corpo tende a ficar todo desorientado quando chega no destino final por causa da mudança rápida de fuso horário. Bate uma canseira, mal estar, sono na hora errada (ou a falta dele na hora certa), nossa barriga fica “preguiçosa”… Dá uma zuada geral no organismo! Esse conjunto de sintomas é chamado de jet lag e é basicamente justificado pela mudança dos nossos hábitos de comer e dormir.

Já ouvi a frase “jet lag é para amadores”. Hmm… Será? Acho ninja demais você sair de um voo de treze horas livre de sequelas. Os médicos dizem que os efeitos do jet lag começam a ser sentidos a partir de quatro horas de diferença de fuso e que pra cada hora é preciso um dia pro organismo se adaptar. O curioso é que os sintomas são piores quando se viaja de Oeste para Leste, tipo do Brasil pra Europa! Engraçado, né? Mas faz todo sentido, já que quando perdemos horas do dia temos menos tempo pra acertar nosso reloginho biológico.

Meu primeiro jet lag foi aos 13 anos de idade quando voei (pela primeira vez!) com a minha família do Brasil pra Cingapura. 25 horas de voo com direito a um pit-stop de 7 horas no aeroporto de Amsterdã no meio do caminho. Ficamos desnorteados por uma semana! Na primeira noite joguei baralho e comi bolacha com o meu irmão até amanhecer! Nunca vou me esquecer…

Ao que interessa…

O que fazer para minimizar os sintomas do jet lag?

O ideal seria acostumar o corpo com o que está por vir. Como assim? Começar a adaptação antes mesmo do embarque, em casa. Muitos recomendam ajustar o relógio conforme o horário do destino alguns dias antes da viagem pra ir entrando na rotina de sono e de refeição do país gradualmente e, assim, não sofrer quando chegar lá.

Eu nunca tentei fazer esta proeza porque sinceramente acho muita função (oh, franqueza!), mas tem quem o faça e garanta que é a maneira mais saudável de fazer essa transição e a mais eficaz pra aproveitar o destino.

Existe também a possibilidade de tomar remédios pra induzir o sono ou pra despertar. Eu também não sou fã desse método, mas se você quiser apostar na ideia, não se esqueça de pedir orientação pro seu médico.

Fora essas duas medidas mais radicais, outros cuidados beem mais simples podem ajudar o nosso corpitcho a driblar o jet lag. Basta boa vontade:

1. Descanse bem antes de viajar. Começar uma viagem longa já cansado não é uma boa ideia…

2. Beba muita água no avião - pelo menos 1 copo por hora. Isso vai compensar os efeitos desidratantes do ar seco da cabine. Se puder evitar o álcool, melhor. Se bem que um vinhozinho a bordo… hm! #CaiBem :)

3. Durma no avião conforme a noite de destino. Se não conseguir se ajustar ao novo horário de sono antes de embarcar, pelo menos no avião comece a entrar no ritmo.

4. Se desembarcar de dia, exponha-se à luz do sol. Essa prática, que é chamada de fototerapia, ajuda o corpo a entender que ainda é hora de ficar acordado.

5. Já no destino, espere a noite chegar para dormir. Resista às sonecas fora de hora pra não perder o sono na hora H.

Boa sorte! :)

Como cuidar dos pés na viagem

Pobres pezitos! Como trabalham esses dois quando viajamos… Carregam peso, passam calor e ainda sofrem bullying quando liberam um chulézinho. Sabe a máxima “prevenir é melhor que remediar”? Pois então, ela vale aqui também.

Cuidar dos pés é garantia de curtir a viagem sem dor e não correr o risco de descartar um passeio porque os pés pediram arrego. Os cuidados são básicos, nada de técnicas milenares mirabolantes, então se liga nessas dicas e dê aos seus pés a atenção que eles merecem.

Como cuidar dos pés na viagem

1. Regra n° 1! Não estreie um calçado numa viagem. Ande bastante com ele antes de embarcar. Os calçados precisam estar amaciados e você confiante de que ele não vai te machucar.

2. Use sapatos fechados (sem tirinhas). Meninas: nada de rasteirinhas e sapatilhas se a ideia é caminhar o dia inteiro. Você não vai querer bolhas te acompanhando dia e noite, não é?! Tênis e botas de trilha são os calçados mais indicados. Sandálias (estilo turista) também são uma opção pra serem usadas com meia se o clima for muito quente. Fica brega, mas funciona.

3. Use meias. Meias garantem conforto e mantém os pés secos, não dando chance pro suor deixar o calçado escorregadio. Em casos de caminhadas muito longas, use duas meias em cada pé pra diminuir o atrito com o tênis ou a bota.

4. Deixe o pé respirar. Assim que tiver uma oportunidade fique descalço e deixe o pezão tomar um ar.

5. Corte as unhas! Hellooo?! Além de higiênico ajuda a unha a não encravar.

6. Seque bem os pés após o banho (inclusive entre os dedos).  É uma dica valiosa contra frieiras. Previna-se desse fedô violento!

7. Por fim… Coloque os pés pra cima no fim do dia. Melhora a circulação e desincha. Apoie os pés sobre um travesseiro ou uma toalha enrolada e relax my friend!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 57 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: