Dicas para amenizar os efeitos do jet lag

Jet Lag

Quando a gente encara viagens muito longas de avião, geralmente de um continente a outro, nosso corpo tende a ficar todo desorientado quando chega no destino final por causa da mudança rápida de fuso horário. Bate uma canseira, mal estar, sono na hora errada (ou a falta dele na hora certa), nossa barriga fica “preguiçosa”… Dá uma zuada geral no organismo! Esse conjunto de sintomas é chamado de jet lag e é basicamente justificado pela mudança dos nossos hábitos de comer e dormir.

Já ouvi a frase “jet lag é para amadores”. Hmm… Será? Acho ninja demais você sair de um voo de treze horas livre de sequelas. Os médicos dizem que os efeitos do jet lag começam a ser sentidos a partir de quatro horas de diferença de fuso e que pra cada hora é preciso um dia pro organismo se adaptar. O curioso é que os sintomas são piores quando se viaja de Oeste para Leste, tipo do Brasil pra Europa! Engraçado, né? Mas faz todo sentido, já que quando perdemos horas do dia temos menos tempo pra acertar nosso reloginho biológico.

Meu primeiro jet lag foi aos 13 anos de idade quando voei (pela primeira vez!) com a minha família do Brasil pra Cingapura. 25 horas de voo com direito a um pit-stop de 7 horas no aeroporto de Amsterdã no meio do caminho. Ficamos desnorteados por uma semana! Na primeira noite joguei baralho e comi bolacha com o meu irmão até amanhecer! Nunca vou me esquecer…

Ao que interessa…

O que fazer para minimizar os sintomas do jet lag?

O ideal seria acostumar o corpo com o que está por vir. Como assim? Começar a adaptação antes mesmo do embarque, em casa. Muitos recomendam ajustar o relógio conforme o horário do destino alguns dias antes da viagem pra ir entrando na rotina de sono e de refeição do país gradualmente e, assim, não sofrer quando chegar lá.

Eu nunca tentei fazer esta proeza porque sinceramente acho muita função (oh, franqueza!), mas tem quem o faça e garanta que é a maneira mais saudável de fazer essa transição e a mais eficaz pra aproveitar o destino.

Existe também a possibilidade de tomar remédios pra induzir o sono ou pra despertar. Eu também não sou fã desse método, mas se você quiser apostar na ideia, não se esqueça de pedir orientação pro seu médico.

Fora essas duas medidas mais radicais, outros cuidados beem mais simples podem ajudar o nosso corpitcho a driblar o jet lag. Basta boa vontade:

1. Descanse bem antes de viajar. Começar uma viagem longa já cansado não é uma boa ideia…

2. Beba muita água no avião - pelo menos 1 copo por hora. Isso vai compensar os efeitos desidratantes do ar seco da cabine. Se puder evitar o álcool, melhor. Se bem que um vinhozinho a bordo… hm! #CaiBem :)

3. Durma no avião conforme a noite de destino. Se não conseguir se ajustar ao novo horário de sono antes de embarcar, pelo menos no avião comece a entrar no ritmo.

4. Se desembarcar de dia, exponha-se à luz do sol. Essa prática, que é chamada de fototerapia, ajuda o corpo a entender que ainda é hora de ficar acordado.

5. Já no destino, espere a noite chegar para dormir. Resista às sonecas fora de hora pra não perder o sono na hora H.

Boa sorte! :)

Terminal de Embarque no SBT!

Ebaa, está na net!! :) hehe

Há algumas semanas recebí na minha casa, em Campo Grande, a equipe do programa do SBT ‘Viver Bem com Carmen Cestari‘ para falar sobre experiências internacionais. Fui convidada a falar um pouquinho sobre a viagem de mochila que fiz sozinha entre 2008 e 2009 e que contei timtim por timtim no blog ju comparin – uma brazuca na estrada enquanto viajava.

O vídeo está aí pra quem quiser conferir! Não vale rir dos meus “nés” hein kkk…

O que vestir (e não vestir) em viagens longas

O que vestir em viagens longas, o que vestir para viajar, como se vestir para viajar, looks de viagemLonge de mim dar dicas de moda! Deixo essa missão pras blogueiras Camila Coutinho e Lalá Loneto que entendem e muito bem do babado. O meu lance com roupa tem a ver com conforto na hora de viajar!

Viagens longas pedem uma atenção maior no que vamos vestir pra não fazer o nosso querido corpitcho sofrer. E isso não vale só pra viagens de avião não, viagens demoradas de carro, busão ou trem também merecem esse cuidado.

Meninas: Deixem o salto alto, a calça jeans da Gang e as bugigangas metálicas na mala pra passear quando chegarem ao destino, mas never se produzam com eles pra embarcar. O pé, que normalmente já incha em viagens, vai virar um pão e não vai conseguir entrar no sapato, a calça jeans colada vai praticamente virar parte de você e as bijus ou vão te arranhar ou você irá perdê-las. #fato

Para os pés prefira sapatos baixos, como tênis, sapatilha confortável ou bota sem salto, e não se esqueça de nunca estrear um calçado em uma viagem. Para cobrir as pernas, tecidos de malha deixam o movimento livre. Minhas peças preferidas são legging e saia longa. Para cima, uma t-shirt faz o serviço debaixo de um casaquinho ou jaqueta pra contar na hora do frio. Uma pashmina também ajuda a virar travesseiro ou cobertinha e não pesa nada.

Meninos: Apesar da calça jeans masculina ser folgada (ou deveria ser kkk), o tecido não é maleável e isso não deve ajudar muito vocês sabem aonde se tiver que passar muito tempo sentado. Calças de sarja ou até um moletom ajeitado são uma opção confortável pra viajar. Sandálias masculinas também substituem o tênis e deixam o pezão respirar. O lema “não estrear um calçado na viagem” também vale pra vocês. É bom carregar um cardigan (casaco “molinho”) pra não congelar no ar condicionado.

Bom, o recado tá dado! Aposte no conforto que o corpo não vai reclamar.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 58 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: