Como é viajar de ônibus pela Austrália e Nova Zelândia?

Recentemente tenho recebido esta pergunta de leitores com frequência, por isso resolvi dedicar um post exclusivo para contar como é viajar de ônibus no sistema “hop-on/hop-off” pela Austrália e Nova Zelândia e tentar ajudar a esclarecer as dúvidas de quem tem interesse em contratar este serviço.

Em primeiro lugar, “hop-on/hop-off” é um termo em inglês que numa tradução chula significa “pular no/pular para fora”. É a ação de subir e descer, no caso, do ônibus. No turismo, a expressão é usada para definir uma modalidade de transporte onde o viajante ou turista compra um bilhete para percorrer do ponto A ao ponto B, mas pode descer nas paradas do caminho quando quiser e continuar a rota com o próximo ônibus da companhia que vier.

É uma mistura de city tour, ônibus de linha e em alguns casos ônibus de viagem. Ao mesmo tempo em que mostra o destino, é um meio de locomoção. A grande vantagem desse sistema é ter a liberdade de fazer o percurso no seu tempo, seja o trajeto entre pontos turísticos de uma só cidade ou viajando de um canto ao outro de um país. Dependendo da distância do roteiro comprado, a validade do bilhete pode variar de um dia, uma semana, meses a até um ano.

É nesse esquema de bilhete válido por um bucado de tempo que nosso assunto começa. Eu viajei pela Austrália e Nova Zelândia assim: comprei um bilhete que fazia determinada rota no país e fui viajando conforme o tempo que eu tinha. Parava em cidades que me interessavam, ficava dois ou três dias, ou passava reto pelas que tinha decidido pular. O único trabalho que eu tinha era entrar no site da companhia, reservar o meu lugar no ônibus para o dia e horário que eu quisesse embarcar e estar no ponto de encontro no horário combinado.

Pra mim esta foi a melhor escolha para visitar estes países por três motivos:

Primeiro porque eu estava viajando sozinha, então esta foi uma maneira de me socializar – teve gente que eu conhecia no início da viagem e que acabava reencontrando lá na frente depois de semanas, assim como teve gente que fez o roteiro igualzinho ao meu e com quem fiz amizade que dura até hoje;

Segundo porque os motoristas dos ônibus eram praticamente guias de turismo: iam dirigindo e explicando sobre os lugares onde passávamos e faziam a reserva das acomodações e atrações pelo caminho, o que era uma mãozona e tanto;

e Terceiro porque a estrada se tornava um passeio em si, com paradas estratégicas pra ver o mar, pra desbravar trilhas que levavam a cachoeiras, pra comer aquela tortinha de crocodilo na beira da estrada… Hm! Bom demaix.

Na Austrália, viajei com a empresa Oz Experience e comprei o bilhete Sydney – Cairns. Fiz este trajeto em um mês, mas a passagem tinha validade para meio ano. Aqui você vê todas as opções de roteiro pelo país disponíveis por esta companhia.

Viajar de ônibus hop-on/hop-off Austrália

Na Nova Zelândia, viajei com a Stray Travel pelas ilhas Norte e Sul durante 18 dias. Neste link aqui dá para conhecer todas as opções de rotas pelo país feitas pela Stray. A que fiz foi a Short Dave.

Viajar de ônibus hop-on/hop-off Nova Zelândia

Vale lembrar que este estilo de viagem é bem direcionado para jovens principalmente com espírito mochileiro, então eu não recomendaria para famílias viajando com crianças ou com pessoas da melhor idade.

Pra você que se encaixa no perfil, está aí uma lista das principais empresas de ônibus hop-on/hop-off da Austrália e Nova Zelândia:

Austrália
Adventure Tours Australia
Autopia Tours
Groovy Grape Tours
Oz Experience
Wildlife Tours
*Greyhound Australia – Esta companhia dá a opção de viagem hop-on/hop-off sem ser voltada exclusivamente para jovens.

Nova Zelândia
Haka Tours
Kiwi Experience – Mesma empresa da Oz Experience.
Stray Travel
*InterCity – Esta também é uma companhia que atende a outros públicos além do jovem.

Pessoal, espero ter ajudado aqueles que queriam conhecer mais sobre este serviço. Quem quiser perguntar alguma outra coisa, manda ver aí nos comentários que eu vou buscar responder. Até a próxima buddies!

Sobre estes anúncios

Vai viajar sozinho? Veja dicas pra não se sentir só

Viajar sozinho

Parece óbvio sugerir um iPod e um livro pra levar numa viagem (duh!), mas só quando se viaja sozinho é que se descobre o quanto eles são preciosos. Já falei neste post aqui sobre as ‘Vantagens e Desvantagens de Viajar Sozinho’ e sentir uma pontinha de solidão pode estar entre os pontos negativos de viver uma experiência como esta.

[Read more...]

A volta ao mundo de WWWander Brasil

Volta ao mundo

Essa brazuca aí embarcou em uma viagem sozinha mundo afora com um objetivo bem claro: praticar artes marciais e curtir um bom rock ‘n’ roll! \m/ Cláudia é engenheira e, durante este tempo fora, também vai buscar cursos na área de formação (pelo menos esse é o plano). Ela tomou coragem e convenceu o seu chefe que passar um ano conhecendo o mundo iria contribuir para o seu desenvolvimento profissional. Que persuasão, hein?! :) Com a garantia de ter o emprego de volta quando voltar, ela se organizou e partiu dia 1° deste mês. A primeira parada? Londres. [Read more...]

Terminal de Embarque no SBT!

Ebaa, está na net!! :) hehe

Há algumas semanas recebí na minha casa, em Campo Grande, a equipe do programa do SBT ‘Viver Bem com Carmen Cestari‘ para falar sobre experiências internacionais. Fui convidada a falar um pouquinho sobre a viagem de mochila que fiz sozinha entre 2008 e 2009 e que contei timtim por timtim no blog ju comparin – uma brazuca na estrada enquanto viajava.

O vídeo está aí pra quem quiser conferir! Não vale rir dos meus “nés” hein kkk…

Vantagens e desvantagens de viajar sozinho

Viajar sozinho

Aqui no Brasil a ideia de viajar sozinho ainda não pegou! É raro ver brasileiros viajando mundo afora na sua própria companhia. Geralmente quando algum brasileiro é avistado, pode esperar que atrás dele vem mais uma renca fazendo festa pela rua! Kkkkk Não é, não?! A gente é barulhento mesmo! \o/

No exterior a cultura do lonely traveler é moda faz tempo. Jovens, adultos e gente fofa da 3ª idade partem sozinhos cheios de atitude pra conhecer terra nova. Em aeroportos, estações de trêm, metrô, barco, bicileta é fácil encontrar amontoado desses gringos sozinhos e faceiros da vida. [Read more...]

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 75 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: