Todos os posts em: Oceania

Museu Subaquático Indonésia

Grande Barreira de Corais vai ganhar museu subaquático

Chegou a vez do litoral australiano receber esculturas submersas para ajudar no aumento da formação de corais. O MOUA (Museum of Underwater Art) será instalado em alguns pontos da Grande Barreira de Corais nas proximidades de Townsville, cidade que abriga o Instituto Australiano de Ciências Marinhas. As primeiras obras foram inauguradas em dezembro de 2019 perto de Strand Beach. Entre os destaques do projeto está uma estrutura de cinco metros de altura, que servirá de berçário para mais de 2 mil fragmentos de corais provenientes de viveiros marinhos, além de uma peça movida a luz solar, que irá mudar de cor a medida em que a temperatura da água se alterar. O uso de recifes artificiais no oceano é normalizado pelo IBAMA e é uma estratégia eficaz na regeneração do ecossistema marinho, já que promove superfície para que os organismos vivos se instalem e se desenvolvam sem causar agressão ao ambiente. O futuro museu subaquático da Austrália é uma iniciativa sem fins lucrativos do artista britânico e ambientalista Jason deCaires Taylor, responsável por instalar na …

Praia de Areia Rosa - Pink Sands Beach, Harbour Island, Bahamas | Foto: Getty Images

13 praias de areia rosa pelo mundo

Como se a beleza do mar não bastasse, algumas praias do mundo ganharam uma pitada a mais de encanto natural com sua areia tingida de rosa. A coloração vem de conchas e corais quebrados e de microorganismos de tom avermelhado. Dois conselhos: não se engane com as cores vibrantes de fotos filtradas no Instagram e procure saber qual é a melhor hora do dia para ver a praia rosada. Conheça nesta lista 13 desses paraísos coloridos. Spoiler: uma das praias é no Brasil! 1. Horseshoe Bay Beach, Bermudas As ilhas Bermudas, localizadas próximo à costa leste dos Estados Unidos, têm algumas praias com areia de cor rosada na sua lista, mas a Horseshoe Bay é de longe a mais conhecida. A praia conta com boa estrutura no verão: salva-vidas, um bar com lanches e bebidas, além de aluguel de cadeira e guarda-sol e de equipamentos para esporte na água, como snorkel e prancha de bodyboard. Para se hospedar pertinho dali, procure o The Reefs Resort and Club. Outros pontos com areia rosa nas Bermudas são …

Nova Zelândia inaugura nova atração: estilingue humano

A Nova Zelândia inventou mais uma atração para os malucões por esportes radicais. É a Nevis Catapult, uma verdadeira catapulta ou estilingue humano. A brincadeira é um bungee jump mais elaborado, que te empurra para frente antes da queda livre. Quem encara a aventura é arremessado 150 metros adiante e atinge a velocidade de 100 km/h em 1,5 segundo! O estilingue fica próximo à cidade de Queenstown na região do Nevis Valley, onde está o complexo de atrações da empresa AJ Hackett. Para entrar nessa, é preciso desembolsar NZD 255 (US$ 172), ter pelo menos 13 anos de idade e pesar no mínimo 27 kg.

A pequena cidade de Barrytown, na Nova Zelândia

Barrytown é uma cidadezinha minúscula que fica na costa oeste da Ilha Sul da Nova Zelândia. Silêncio, ovelhas pastando e uma população de 225 pessoas (pelo censo de 2006) formam o cenário. A cidade fez parte do meu roteiro no país em 2009 e a sensação de ter estado num lugar tão escondido no mundo me faz lembrar dela até hoje com muito carinho! Cheguei até lá com a Stray Travel, companhia de ônibus que faz viagens no estilo hop-on/hop-off (expliquei como isso funciona no post Como é viajar de ônibus pela Austrália e Nova Zelândia). Fiquei hospedada no All Nations Hotel, um albergue integrado a um pub construído para mineiros lá atrás nos anos 1800. Sensacional, né? O pub é uma das poucas atrações de Barrytown. Não tenho fotos, mas tenho a memória de ter me divertido bastante! Além de tomar cerveja, o turista que chega lá tem a oportunidade mais que especial de esculpir o seu próprio pingente da cultura Maori, um artesanato cheio de significado para os indígenas da Nova Zelândia e um dos ícones do país. Eu fiz o meu e contei …

Um passeio pelas ruas de Queenstown

Disputadíssima por brasileiros em busca de um destino para fazer intercâmbio, Queenstown é uma das cidades mais visitadas de toda Nova Zelândia. Ela fica na Ilha Sul do país e seu combinado de atrativos jovens é o que leva tantos brasileiros irem parar lá: esportes radicais, vida noturna agitada e infra-estrutura de “cidade grande”. Cidade grande entre aspas porque Queenstown é bem pequena. O trânsito é tranquilo – quase não se vê semáforos, muitas ruas são exclusivas para pedestres e o cenário ao pé da montanha valoriza o clima de sossego no ar. O lago Wakatipu que banha a cidade é o mais longo da Nova Zelândia com 84 km de comprimento. Formado por um processo glacial, a água é cristalina! O pier é uma área super agradável pra passear, com barzinhos e cafés margeando o contorno do lago. Dar uma pausa na pernada pra tomar um cappuccino ou uma taça de vinho de frente pros Alpes é uma decisão inteligente! Vale a pena pegar carona nesse bondinho e ver Queenstown lá do alto! A parada no topo do morro tem restaurante, lojinha de souvenir e …

Como é viajar de ônibus hop on/hop off pela Austrália e Nova Zelândia?

Hop-on/hop-off é um termo em inglês usado para definir uma modalidade de transporte onde o viajante ou turista compra um bilhete para percorrer de um ponto a outro, mas pode descer nas paradas do caminho quando quiser e continuar a rota com o próximo veículo da companhia que vier. É uma mistura de city tour, ônibus de linha e em alguns casos ônibus de viagem. Ao mesmo tempo em que mostra o destino, é um meio de locomoção. A grande vantagem desse sistema é ter a liberdade de fazer o percurso no seu tempo, seja o trajeto entre pontos turísticos de uma só cidade ou viajando de um canto ao outro de um país. Dependendo da distância do roteiro comprado, a validade do bilhete pode variar de um dia, uma semana, meses a até um ano. Eu viajei pela Austrália e Nova Zelândia assim: comprei um bilhete que fazia determinada rota no país e fui viajando conforme o tempo que eu tinha. Parava em cidades que me interessavam, ficava dois ou três dias, ou passava reto pelas que tinha decidido pular. O único …

Caminhada sobre a Geleira de Franz Josef, Nova Zelândia

A caminhada sobre a Geleira de Franz Josef foi uma das coisas mais incríveis que fiz na Nova Zelândia! Só não digo que foi ‘a’ mais incrível pra não ser injusta com o salto de bungee jump e a Travessia Tongariro, que também foram sensacionais. Essa Geleira, junto com a Geleira vizinha chamada Fox, é uma das mais acessíveis do mundo para explorar e está entre as atividades mais populares da Ilha Sul da Nova Zelândia. Num português bem claro, a Geleira de Franz Josef é um rio de gelo (não de neve) que fica entre um conjunto de montanhas bem mais altas chamadas Alpes do Sul e uma floresta perto da costa. A neve que cai nestes Alpes é empurrada vale a baixo até se compactar em gelo e assim, de camada em camada, formar a Geleira. Era janeiro de 2009 quando estive por lá. Lembro de ouvir do guia a informação de que a Geleira crescia metros por ano e lembro de ter achado isso o máximo! Pesquisando dados recentes hoje pra colocar …

Vocabulário australiano: o que é preciso saber antes de chegar lá

Vocabulário australiano: o que é preciso saber antes de chegar lá

A Austrália é um país de língua inglesa, o que não necessariamente significa que você vai entender tudo o que os conterrâneos disserem mesmo sendo um fluent english speaker. Além do sotaque ser cheio de malemolência, os australianos têm uma coleção de gírias e expressões próprias que é legal conhecer antes de viajar para lá: Aussie (pronuncia-se óssi): É a maneira como eles mesmos se chamam. Significa australiano. Down under: É como eles apelidaram a Austrália, se referindo à localização geográfica do país no mapa: no hemisfério sul bem abaixo da maioria dos outros países do globo. Good day: Todo mundo um dia aprendeu que bom dia em inglês é good morning, certo? Na Austrália, o usado é Good day ou G’day na forma mais abreviada. Fair enough: Significa justo. É usado para concordar com algo que alguém disse. Como em uma conversa: “Não vou sair hoje porque estou cansado”. A resposta: “Fair enough”. Mate: Significa parceiro, camarada, amigão… Não é um termo exclusivo da Austrália, mas lá é usado sem moderação. “What´s up mate?” “G’ day …

Mergulho com golfinhos selvagens na Nova Zelândia

Nadar com golfinhos em mar aberto realmente nunca esteve nem nos meus planos mais ambiciosos. Pois bem, em Kaikoura, cidadezinha da ilha sul da Nova Zelândia, esse encontro é possível. Empresas como a Encounter Kaikoura levam os turistas para o alto mar em busca de um (bando? cardume? não, não existe coletivo para golfinhos)… em busca de uma multidão deles e ancoram seus barcos assim que avistam uma. São centenas de golfinhos juntos! Chega a dar um medão medinho de pular na água. A adrenalina bate mesmo quando eles vêm na nossa direção! Como eles são selvagens, ou seja, não domesticados, a interação é um pouquinho “bruta” demais kkk! Pode rolar um empurrãozinho de pele emborrachada sem querer, mas nada que chegue perto de machucar. Eu tentei registrar o momento debaixo d´água com uma máquina aquática descartável, mas nenhuma foto prestou. A minha dica é que você ouça a dica do instrutor do barco e não tente tirar fotos do mergulho porque não vai ter sucesso kkk. O melhor a fazer é curtir o momento …